Compreendendo a integração das bibliotecas escolares e a comunidade: reflexões teórico-práticas a partir da teoria sistêmica

Contenido principal del artículo

Thiago Giordano de Souza Siqueira
Thais Lima Trindade

Resumen

Apresenta reflexão sobre as possibilidades de atuação das bibliotecas escolares dentro e fora da escola e junto à comunidade local. Estudo teórico de caráter descritivo e exploratório, baseado em revisão bibliográfica e relatos de experiência. Demonstrainterpelações de como a aplicabilidade do pensamento ecossistêmico, no contexto dabiblioteca escolar, poderá contribuir para a construção de um centro de comunicação,informação e aprendizagem, capaz de tornar este espaço informacional cumpridor de seu papel social junto ao sistema educacional e a comunidade.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Cómo citar
Siqueira, T. G. de S., & Trindade, T. L. . (2022). Compreendendo a integração das bibliotecas escolares e a comunidade: reflexões teórico-práticas a partir da teoria sistêmica. Palabra Clave (La Plata), 12(1), e172. https://doi.org/10.24215/18539912e172
Sección
Avances de investigación

Citas

Bertalanffy, L. (2010). Teoria geral dos sistemas. Petrópolis: Vozes.

Brasil. IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo demográfico 2010. Recuperado de https://www.ibge.gov.br/estatisticas/multidominio/genero/9662-censo-demografico-2010.html?=&t=destaques

Canal Grupo de Pesquisa GRUPIC. (14 de outubro de 2020). Biblioteca escolar para além dos muros da escola: quais os caminhos a seguir? [Arquivo de vídeo]. Youtube. Recuperado de https://www.youtube.com/watch?v=UhxLNr9Ixxg

Capra, F. (1996). A teia da vida: uma nova compreensão dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix.

Capra, F. (2006). O ponto de mutação. São Paulo: Cultrix.

IFLA. (2000). Manifesto IFLA/UNESCO para Bibliotecas Escolares. São Paulo. Tradução de Neusa Dias de Macedo. Recuperado de https://archive.ifla.org/VII/s11/pubs/portuguese-brazil.pdf

IFLA. (2016). Diretrizes da IFLA para biblioteca escolar (2° ed.). Recuperado de https://www.ifla.org/wp-content/uploads/2019/05/assets/school-libraries-resource-centers/publications/ifla-school-library-guidelines-pt.pdf

Lankes, R. D. (2016). Expect more: melhores bibliotecas para um mundo complexo. São Paulo: FEBAB. Tradução Jorge do Prado.

Magalhães, S. P. (2019). Bibliotecas públicas em cidades médias do estado do Amazonas, Brasil. Perspectivas em ciência da informação, 24(1), 147-168. Recuperado de http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/3661

Mendes, L. M. T. L. (2021). A Biblioteca Escolar e o Bibliotecário. muito mais que livros, instrumento de desenvolvimento intelectual e humano. Em T. L. Trinidade y T. G. S Siqueira. Por qué precisamos de bibliotecários? (pp. 97-120). Manaus: EDUA. Recuperado de https://riu.ufam.edu.br/handle/prefix/5897

Misoczky, M. C. A. (2013). Da abordagem de sistemas abertos à complexidade: algumas reflexões sobre seus limites para compreender processos de interação sócia. Cadernos EBAPE.BR, 11(3), 419-442. Recuperado de https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/11652/10600

Morin, E. (1984). Sociologia: a sociologia do micro-social ao macro-planetário. Lisboa: Publicações Europa- América.

Morin, E. (2003). O método. a natureza da natureza. Porto Alegre: Sulina.

Reis, E. A. & Reis, I. A. (2002). Análise descritiva de dados. síntese numérica. Belo Horizonte: UFMG.

Siqueira, T. G. S. (2016). Lectura, biblioteca e inclusión social: importancia de la promoción de la lectura en comunidades ribereñas en Amazonas, Brasil. Información, cultura y sociedad, 34, 93-106.

Trindade, T. L. (2019). A biblioteca escolar como agente transformador da sociedade. uma perspectiva ecossistêmica (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Amazonas, Manaus. Recuperado de https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/7619

Artículos más leídos del mismo autor/a