Programa de Formação de Competência em Informação para bibliotecários do Sistema Integrado de Bibliotecas da Universidade Federal de São Carlos, Brasil

Contenido principal del artículo

Cristina Marchetti Maia
Camila Araújo dos Santos

Resumen

O artigo apresenta a estruturação e a aplicação do Programa de Formação de Competência em Informação para bibliotecários do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi) da Universidade Federal de São Carlos, Brasil. O objetivo do estudo foi analisar como as etapas transversais de planejamento e de mapeamento da competência em informação (ComInfo) nos níveis institucional e de ensino foram determinantes para o delineamento das estratégias formativas. O programa é constituído por uma frente de atuação voltada para o aperfeiçoamento profissional da equipe do SIBi e a outra frente direcionada para o empreendimento de eventos, de atividades e de criação de materiais voltados para o atendimento de demandas da comunidade acadêmica. A pesquisa é de abordagem qualitativa de cunho descritivo-exploratória. Fez-se uso da observação participante e do questionário para compreender, holística e integradamente, o objeto em foco. Relatou-se em um primeiro momento, o alinhamento das atividades do programa com o framework de Santos (2020) cujo resultado dessa intersetorialidade culminou no 1º Ciclo de Formação de CoInfo dos bibliotecários da equipe. Em um segundo momento, descreveu-se todo o programa a partir dos princípios do Plano de Ação da International Federation of Library Associations and Institutions (2007) em que se constatou que todas as atividades propostas corroboram com a ascensão de competências transversais, tendência preconizada no relatório International Federation of Library Associations and Institutions (2021). Evidencia-se que apoio institucional é um diferencial, visto que os objetivos do programa devem estar em consonância com os da biblioteca a fim de que os bibliotecários sejam sensibilizados sobre sua participação e contribuição na melhoria do atendimento à comunidade. Espera-se que a experiência relatada possa servir como norteadora para que bibliotecários alinhem, junto à instâncias gestoras e políticas de sua instituição, ações de formação e atualização de seus conhecimentos sobre a competência em informação.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Cómo citar
Marchetti Maia, C., & Santos , C. A. dos. (2022). Programa de Formação de Competência em Informação para bibliotecários do Sistema Integrado de Bibliotecas da Universidade Federal de São Carlos, Brasil. Palabra Clave (La Plata), 12(1), e166. https://doi.org/10.24215/18539912e166
Sección
Dosier: Alfabetización en información: tendencias, conocimientos y experiencias innovadoras en bibliotecas y otros espacios educativos y culturales - parte 2

Citas

ACRL Association of College and Research Libraries. (2016). Framework for information literacy for higher education. Chicago: ACRL. Recuperado de https://www.ala.org/acrl/sites/ala.org.acrl/files/content/issues/infolit/Framework_ILHE.pdf

ACRL Association of College and Research Libraries. (2019). Characteristics of programs of information literacy that illustrate best practices: a guideline. Chicago: ACRL. Recuperado de https://www.ala.org/acrl/standards/characteristics

Belluzzo, R. C. B. (2007). Construção de mapas: desenvolvendo competências em informação e comunicação. Bauru: Cá entre Nós.

Catts, R. & Lau, J. (2008). Towards information literacy indicators. Paris: UNESCO. Recuperado de https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000158723

FEBAB Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. (2011). Declaração de Maceió sobre a Competência em Informação. Maceió: FEBAB. Recuperado de http://febab.org.br/declaracao_maceio.pdf

FEBAB Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. (2013). Manifesto de Florianópolis sobre a competência em informação e as populações vulneráveis e minorias. Florianópolis: FEBAB. Recuperado de http://febab.org.br/manifesto_florianopolis_portugues.pdf

Gil, A. C. (2019). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2022). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

IFLA International Federation of Library Associations and Institutions. (2005). Declaração de Alexandria sobre competência informacional e aprendizado ao longo da vida. El Cairo: IFLA. Recuperado de https://www.ifla.org/wp-content/uploads/2019/05/assets/wsis/Documents/beaconinfsoc-pt.pdf

IFLA International Federation of Library Associations and Institutions. (2007). Diretrizes sobre desenvolvimento de habilidades em informação para a aprendizagem permanente. México: IFLA. Recuperado de https://www.ifla.org/wp-content/uploads/2019/05/assets/information-literacy/publications/ifla-guidelines-en.pdf

IFLA International Federation of Library Associations and Institutions. (2012). Declaração de Havana: 15 ações de competência em informação/ALFIN por um trabalho colaborativo e de criação de redes para o crescimento da competência em informação no contexto dos países iberoamericanos. The Hague: IFLA. Recuperado de https://www.ifla.org/wp-content/uploads/2019/05/assets/information-literacy/publications/Declaration/Compet.Declara-de-Havana.2012.Portu-Brasil.pdf

IFLA International Federation of Library Associations and Institutions. (2019). Estrategia de la IFLA 2019-2024. The Hague: IFLA. Recuperado de https://www.ifla.org/wp-content/uploads/2019/05/assets/hq/gb/strategic-plan/ifla-strategy-2019-2024-es.pdf

IFLA International Federation of Library Associations and Institutions. (2021). IFLA Trend Report 2021 Update. The Hague: IFLA. Recuperado de https://repository.ifla.org/bitstream/123456789/1830/1/IFLA%20TREND%20REPORT%202021%20UPDATE.pdf

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2022). Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas.

Organização das Nações Unidas. (2014). Declaração de Lyon sobre o acesso à informação e desenvolvimento. The Hague: ONU. Recuperado de https://www.lyondeclaration.org/content/pages/lyon-declaration-pt.pdf

Paterson, B. L., Bottorff, J. L. & Hewat, R. (2003). Blending observational methods: possibilities, strategies and challenges. International journal of qualitative methods, 2(1), 29-38.

Santos, C. A. (2020). O uso do framework para a implantação e o desenvolvimento da competência em informação (CoInfo) em bibliotecas. Revista Bibliomar, 19(2), 126-146. Recuperado de http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/bibliomar/article/view/15400

Santos, J. O. & Barreira, M. I. J. S. (2019). Competência em informação: o bibliotecário e o processo de definição das necessidades informacionais. Biblios: journal of librarianship and information science, 74, 42-60. Recuperado de http://www.scielo.org.pe/pdf/biblios/n74/a04n74.pdf

UNESP, UnB & IBICT Universidade Estadual Paulista, Universidade de Brasília e Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (2014). Carta de Marília sobre Competência em Informação. Marília: UNESP. Recuperado de https://ofaj.com.br/textos_conteudo.php?cod=546