Proveniência e contexto digital: contribuições da ciência da informação

Resumen

O objetivo deste artigo é discutir o conceito da proveniência e evidenciar sua importância no ambiente digital, focado na perspectiva da Ciência da Informação. Como procedimentos metodológicos, caracterizou-se por ser uma pesquisa qualitativa e exploratória, a partir de uma revisão de literatura sobre o contexto da proveniência em diferentes domínios. O artigo apresenta uma discussão do termo proveniência em diversos contextos, como na Arquivologia, Museologia, Preservação digital e Computação e destaca sua importância no âmbito digital. Conforme discutida a relevância da proveniência em diferentes contextos, destaca-se a necessidade de estudos mais aprofundados, se os instrumentos para representar a proveniência são adequados para garantir a veracidade e a inalterabilidade das informações. Dessa forma, as discussões expostas neste artigo revelam possibilidades em identificar metadados para cada característica que a proveniência possa apresentar, além da viabilidade de ampliação para outros contextos.

Palabras clave:

Proveniência, Ambiente digital, Contexto da proveniência

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor

Felipe Augusto Arakaki, Universidade de Brasília (UnB). Faculdade de Ciência da Informação

Docente do curso de biblioteconomia da Universidade de Brasília (UnB). Doutor e mestre em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista "Júlio Mesquita Filho" - UNESP/Marília e bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Campus de Marília. É integrante do Grupo de Pesquisa "Novas Tecnologias em Informação" e do Grupo de Pesquisa "Dados e Metadados". Áreas de interesse incluem a Ciência da Informação, principalmente nos temas: Representação e organização da informação, Catalogação, Metadados, Interoperabilidade, Padrões de Metadados, Dublin Core, BIBFRAME, Schema.org, Web Semântica, Linked Data e proveniência dos dados (PROV).

Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa Santos, Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Filosofia e Ciências

Livre-docente em Catalogação pela UNESP (2010), doutora em Letras - Semiótica e Lingüística Geral pela FFLCH/USP (1994), mestre em Ciência da Informação pela PUC de Campinas (1983) e bacharel em Biblioteconomia pela UNESP (1980). Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da FFC/UNESP, na linha de pesquisa Informação e Tecnologia. Vice-Lider do Grupo de Pesquisa ? Novas Tecnologias em Informação (GP-NTI). Desenvolve suas pesquisas nas temáticas: Metadados, Catalogação e Tecnologias, Intersemiose Digital, Redes de Informação, Mapa do Conhecimento Humano. Pesquisadora CNPq, coordenadora do GT8 - Informação e Tecnologia, da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação - Ancib (2013-2016). Editora da revista Informação & Tecnologia (Itec), membro do corpo editorial das revistas Brazilian Journal of Information Science: research trends e Revista Eletrônica Informação e Cognição. Parecerista ad hoc de agências de fomento e de periódicos científicos, participa como revisora e como membro de Comitês Científicos de periódicos científicos em Ciência da Informação no Brasil e no exterior. Membro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação ? ANCIB e membro da Diretoria da Sociedade Brasileira de Ciência Cognitiva ? SBCC.

Citas

Arakaki, F. A. (2019). Metadados administrativos e a proveniência dos dados: modelo baseado na família PROV. Tese Doutorado em Ciência da Informação, Marilia, Brasil. Recuperado de https://repositorio.unesp.br/handle/11449/180490

Arakaki, F. A., Alves, R. C. V., e Santos, P. L. V. A. C. (2019). Preservação digital e proveniência: interseções entre PREMIS e o PROV. Em XX Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação. ANCIB, Florianópolis, Brasil. Recuperado de https://conferencias.ufsc.br/index.php/enancib/2019/paper/view/1356/647

Arquivo Nacional (Brasil). (2015). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional. Recuperado de http://www.arquivonacional.gov.br/images/pdf/Dicion_Term_Arquiv.pdf

Berners-Lee, T., Hendler, J. e Lassila, O. (2001). The semantic web. Scientific American, 284(5), 28–37.

Bivar, B. et al. (2013). Uma Comparação entre os Modelos de Proveniência OPM e PROV. Em BRESCi 2013, Maceió, Brasil.

Buneman, P., Khanna, S. e Tan, W. (2000). Data provenance: some basic issues. En S. Kapoor, S. Prasad (eds), FST TCS 2000: Foundations of Software Technology and Theoretical Computer Science. FSTTCS 2000. Berlin: Springer.

Conselho Internacional de Arquivos. (2007). ISDF: Norma internacional para descrição de funções. Paris: Conselho Internacional de Arquivos. Recuperado de https://www.ica.org/sites/default/files/CBPS_2007_Guidelines_ISDF_First-edition_PT.pdf

Cruz, S. M. S., Campos, M. L. M. e Mattoso, M. (2009). Towards a Taxonomy of Provenance in Scientific Workflow Management Systems. 2009 Congress On Services - I, IEEE. Recuperado de http://dx.doi.org/10.1109/services-i.2009.18

Cunha, M. B. e Cavalcanti, C. R. O. (2008). Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos.

Dublin Core Metadata Initiative. (2020). Provenance. DCMI. Recuperado de https://www.dublincore.org/specifications/dublin-core/dcmi-terms/terms/provenance/

Duranti, L. et al. (2016). InterPARES Trust Terminologia. Recuperado em http://arstweb.clayton.edu/interlex/pt/

Eckert, K. (2012). Metadata Provenance in Europeana and the Semantic Web. (Dissertação Mestrado em Informationswissenschaft). Recuperado de https://edoc.hu-berlin.de/bitstream/handle/18452/2727/332.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Eckert, K., Garijo, D. e Panzer, M. (2011). Extending DCAM for Metadata Provenance. Trabalho apresentado no International Conference on Dublin Core and Metadata Applications, DCMI, The Hague. Recuperado de http://dcpapers.dublincore.org/pubs/article/view/3621

Furner, J. (2019). Definitions of “Metadata”: A Brief Survey of International Standards. Journal of the Association for Information Science and Technology, 71(6). doi: https://10.1002/asi.24295

Haynes, D. (2018). Metadata for Information Management and Retrieval: Understanding metadata and its use. London: Facet Publishing.

Lemieux e inPROVENANCE Group. (2016). Provenance: Past, Present and Future in Interdisciplinary and Multidisciplinary Perspective. In V. Lemieux (ed.). Building Trust in Information (pp. 3-45.. Bern: Springer International Publishing.

Li, C. e Sugimoto, S. (2014). Provenance description of metadata using PROV with PREMIS for long-term use of metadata. Em International Conference on Dublin Core and Metadata Applications. The Hague: DCMI. Recuperado de https://dcpapers.dublincore.org/pubs/article/view/3709

Li, C. e Sugimoto, S. (2017). Provenance description of metadata vocabularies for the long-term maintenance of metadata. Journal of data and information Science, 2(2), 41–55.

Li, C. e Sugimoto, S. (2018). Provenance Description of Metadata Application Profiles for Long-Term Maintenance of Metadata Schemas. Journal of Documentation, 74(1), 36–61, Recuperado em http://www.emeraldinsight.com/doi/10.1108/JD-03-2017-0042

Library of Congress e PREMIS Editorial Committee. (2015). PREMIS Data Dictionary for Preservation Metadata. Recuperado de http://www.loc.gov/standards/premis/v3

Macedo, S. (2018). Ascensão de. ‘Proveniência’ na terminografia arquivística de língua portuguesa: prospeção e visualização de (dis)similaridades em termos e definições. Revista ibero-americana de ciência da informação, 11(2), 388–409. Recuperado de http://periodicos.unb.br/ojs311/index.php/RICI/article/view/8334

Marins, A. L. A. (2008). Modelos conceituais para proveniência. (Dissertação Mestrado em Ciência da Informação), Rio de Janeiro, Brasil. Recuperado de https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=11880@1

Moreau, L. e Groth, P. (2013). Provenance: an introduction to PROV. Synthesis lectures on the semantic web: theory and technology, 3(4), 1-129. doi: https://10.2200/s00528ed1v01y201308wbe007

Pearce-Moses, R. e Baty, L. A. (2005). A glossary of archival and records terminology. Chicago, IL: Society of American Archivists. Recuperado de http://www.chismechick.com/wp-content/uploads/2017/08/SAA-Glossary-2005.pdf

Peterson, D. (1996). Forms of Representation: An Interdisciplinary theme for Cognitive Science. Wilshire: Intellect Books.

Santos, P. L. V. A. C. e Vidotti, S. A. B. G. (2009). Perspectivismo e tecnologias de informação e comunicação: acréscimos à ciência da informação? DataGramaZero: revista de ciência da informação, 10(3).

Simmhan, Y. L., Plale, B. e Gannon, D. (2005). A survey of data provenance in e-Science. SIGMOD Record, 34(3), 31-36.

Tognoli, N. B. e Guimarães, J. A. C. (2019). Provenance as a knowledge organization principle. Knowledge organization, 46(7), 558-68. Recuperado de http://www.isko.org/cyclo/provenance

Vidotti, S. A. B. G. et al. (2016). Coleta automática para povoamento de repositórios digitais: conversão de registros utilizando XSLT. Tendências da pesquisa brasileira em ciência da informação, 9(2).

World Wide Web Consortium. (2011). Library Linked Data Incubator Group Final Report. W3C Incubator Group Report. Recuperado de http://www.w3.org/2005/Incubator/lld/XGR-lld-20111025/

World Wide Web Consortium (2013a). PROV Model Primer. Recuperado de https://www.w3.org/TR/2013/NOTE-prov-primer-20130430/

World Wide Web Consortium (2013b). PROV-DM: the prov data model. Recuperado de https://www.w3.org/TR/prov-dm/

World Wide Web Consortium (2017). Data on the Web best practices. Recuperado de https://www.w3.org/TR/dwbp/

Zafar, F. et al. (2017). Trustworthy data: A survey, taxonomy and future trends of secure provenance schemes. Journal of network and computer applications, 94, 50-68. http://dx.doi.org/10.1016/j.jnca.2017.06.003
Publicado
2021-04-01
Cómo citar
Arakaki, F., & Santos, P. (2021). Proveniência e contexto digital: contribuições da ciência da informação. Palabra Clave (La Plata), 10(2), e124. https://doi.org/10.24215/18539912e124
Sección
Artículos de temática libre